Conto erótico "ME NAMORO" ou "Meu Amor"

"Cheguei em casa exausta de mais um dia de trabalho na loja. Lidar o tempo inteiro com clientes suga minhas energias, por mais que eu aprecie a troca. Finalmente posso desabotoar a calça, deixando a barriga pular de alívio para fora. Tirei a camisa, abri o soutien e gemi no sofá. Liguei a TV para deixar qualquer coisa passando enquanto eu me atualizava da vida pelo celular. Depois de visitar todas as redes sociais, esquentei e devorei o yakisoba que restou do fim de semana, assistindo um daqueles programas de reforma de casas milionárias.

"Ai, ai, acho que tá na hora daquele banho de lavar a alma" pensei enquanto tirava a calcinha. Liguei o chuveiro que esquentava e aproveitei para me olhar no espelho. Me virei conferindo as novas espinhas da bunda. "Acho que preciso pegar um sol aqui, mesmo assim, uma grande gostosa eim? Até me pegaria", confessei à mim mesma.


Entrei e senti a água morna percorrer o corpo: relaxei na hora. Fiquei por alguns minutos assim, paradinha, até começar à realmente tomar o banho. Lavei a cabeça, passei o condicionador e fui ensaboar o corpo, passando a mão suavemente pelos seios, barriga, coxas. A sensação gostosa tomou conta de mim, cheguei na vulva já com intenções. Apalpava o seio e, simultaneamente, passeava pelas dobras da minha buceta enquanto a libido explodia. Virei de frente para o chuveiro, abrindo as pernas e inclinando para trás, para que a água alcançasse o clitóris exposto entre meus dedos. Me movia para intensificar o estímulo de prazer.


Terminei, mal me sequei e corri para o quarto, jogando a toalha na cama e abrindo a gaveta à procura do que me ajudaria naquele momento. Entre a bagunça de calcinhas, achei o bullet que havia ganhado de presente de uma amiga no último aniversário. Estava num ritmo de trabalho tão insano que esqueci do brinquedo. Na verdade, esqueci de me amar e, sem perceber, tinha deixado de lado meu tão importante autocuidado.


Deitei na cama ligando o vibrador. Fui direto onde queria, massageando toda a extensão úmida.

A vibração intensa subiu por todas as partes me fazendo contrair os músculos. Entrei em êxtase rápido, às vezes esticava o corpo, abrindo bem as pernas para sentir o inchaço da buceta pulsar. O orgasmo se aproximava e meu corpo experimentava novas posições involuntárias. Curvei o corpo contraindo os pés enquanto o gozo deslizava para fora de mim, completamente molhada de novo.

Caí para trás ofegante. Precisei tomar outra ducha antes de me vestir confortavelmente para, enfim, ir dormir. Aproveitei para ler outro capítulo do livro de psicologia, ativar o alarme e só revivi com o sol entrando pela janela às 7:30 da manhã."

 

 

Conto erótico de Jota Carneiro. Jota é carioca da gema, artista visual & ilustradora, dona e proprietária do Portal Xotânico. Lá você encontra mais textos como esses, além de poesias, ilustras & outras artes. Conheça mais do trabalho da artista em www.apoia.se/jotacarneiro ou @jota.carneiro

Gostou? Deixe seu comentário

Não aceitamos discurso de ódio. Todos os comentários serão moderados antes de serem publicados.

primeiro toy? vem comigo