PREVISÃO FEVEREIRO | O CÉU É UM ESPELHO D`ÁGUA

Deixar-se ser levado pela maré de Peixes é escolher o próximo segundo como objetivo final, sem tentar intervir e controlar o rumo dos acontecimentos. Apenas esperar que eles venham, aconteçam e vão embora. Não sentir necessidade de definições, garantias de permanência e qualidade. A única certeza é a de ter que encarar as surpresas assim que elas surgem, pois rapidamente se dissolvem e são perdidas. Viver e deixar morrer. Você sabe lidar com o efêmero?
Ocean Waves Summer GIF

Jogar-se na água é uma pequena morte em vida. É colocar o corpo em risco para se diluir em fantasia. Por alguns segundos se perde a sensação de ser quem é e se torna parte de outra realidade. É rápido, como é também a sorte e os raios - assuntos de Júpiter, regente de Peixes, planeta importante nessa lunação. 

No momento do mergulho, percebe-se que apesar de importante, o corpo não é tudo. Ele é o caminho para encontrar a água, o prazer, mas o êxtase acontece em um plano superior - embaixo d’água. É um renascer úmido, em forma de cardume, deixando para trás algum traço de identidade e individualidade que não serve mais. Adaptar-se para sobreviver. 

Abrir mão do controle proporciona uma grande sensação de alívio, mas também libera adrenalina na corrente sanguínea. Peixes é o alerta de uma onda que pode atingir a qualquer momento, mas vale a pena a aventura. Afinal, poucas coisas na vida são tão intensas e relaxantes como ser atingido pela água infinita e incontrolável do mar que, bravamente, escolhe-se navegar. 

A água é um elemento de proteção, fé e cura, e Peixes é o último signo do zodíaco, de milagres e esperança. É inevitável não pensar na metáfora da luz no fim do túnel. Peixes, que finaliza os ciclos astrológicos, não tem em sua natureza o luto, o lamentar pela perda da matéria. É a água mutável que toma conta de forma avassaladora e leva embora o que não precisa mais. Vê além da morte, no aguardo pelo calor do próximo ciclo, que sempre vem. 

Outro signo importante dessa lunação é Câncer, que aparece no Ascendente no mapa da lunação. Reforça nossa conexão com questões emocionais. Além disso, é um signo de água que fortalece Júpiter, assim como Peixes, e salienta ainda mais a importância dos assuntos deste planeta ao longo do mês. 

Até o dia 18 de março, Júpiter estará em uma condição debilitante, o que reduz seus assuntos e capacidade de trazer paz, expansão e abundância. Um pouco de discrição é necessária para protegermos nossos bens mais preciosos - nem toda ostentação é uma expressão de alegria, e nem toda reza é em voz alta. A verdade é que raramente é, pois não é simples deixar transparecer pelo o quê somos gratos, muito menos nossos pedidos e lamentos. Aquilo que sai direto dos nossos corações nos torna vulneráveis. E é justamente sobre deixar os poros da pele abertos que essa lunação fala sobre - mas com atenção, para sentir cada arrepio como se fosse a última vez, e saber diferenciar borboletas no estômago de um instinto de sobrevivência diante do perigo. O último signo também é sábio.

Antes de analisarmos a lunação com mais detalhes, é importante ressaltar que Peixes é um signo que fortalece Vênus, planeta que representa a nossa sexualidade. Portanto, seus assuntos estarão em evidência nesse período. 

 

Os encontros do mês 

Sol e Lua se unem no signo de Peixes ao lado de Júpiter, em um mapa com predominância do elemento água e em uma casa que, entre seus temas, estão a fé e a espiritualidade (casa 9). É a ocorrência de milagres, sonhos proféticos e visões reveladoras. Podemos ter insights e descobrir novas facetas e significados das nossas experiências. Peixes é um signo venusiano e a sexualidade pode estar aflorada, conectada com uma manifestação mais profunda e etérea. 

A espiritualidade e tudo que expande nossa maneira de lidar com o cotidiano - estudos, filosofia, viagens - são temas que estarão evidenciados nessa lunação. Júpiter também está relacionado com contextos de alegria e leveza, então podemos esperar um momento de maior conexão com os aspectos agradáveis da nossa existência. 

Apesar de poderoso e posicionado em um signo regido por ele, Júpiter está muito próximo do Sol, de encontro com a combustão. Até o dia 18 de março, seus assuntos terão uma manifestação mais reclusa e discreta, como já foi citado. É aquela surpresa agradável e inesperada que escolhemos não expor para o mundo. Deixaremos que a felicidade reverbere dentro de nós, buscando entender seu significado em um sentido mais introspectivo. 

Alguns movimentos continuam - Vênus e Marte seguem unidos em Capricórnio, apimentando relacionamentos e causando um tom belicoso de discórdia. Dessa vez, esse encontro acontece na casa 7, justamente o local dos nossos relacionamentos, contato com adversários e também das nossas alianças. Pode ser o pico dessa representação de brigas, desentendimentos e dificuldade de chegar no cessar fogo. Marte ganha nessa batalha, então ainda não é um bom momento para afirmar acordos de paz. Dia 6 de março, esses dois planetas se encontram novamente, dessa vez no signo de Aquário. Até o fim do mês, teremos uma influência forte desse casamento conturbado, que ainda vai custar um pouco da nossa paz. 

Mas temos que ver o lado bom da coisa… contatos de Vênus com Marte podem provocar aumento da intensidade sexual. Em Aquário, ela ganha um tom despojado e até excêntrico. A agitação nos assuntos venusianos diminui e dá espaço para uma manifestação mais sólida, fixa, mas o potencial para brigas e términos - com mais chance de serem definitivos - continua. 

Dia 28, Vênus fará uma conjunção com Saturno, indicando lascívia no sexo e restrição no afeto. É uma desvalorização do romance, mas também dos aspectos mais egocêntricos dos nossos relacionamentos. Estaremos menos narcisistas e dando espaço para perspectivas menos idealizadas sobre o que é a sexualidade e o amor. Cuidado com definições nos assuntos de relacionamento nesse período - aqui estão inclusas as afirmações de parcerias profissionais também. 

 

A partir do dia 18, o tom da lunação muda com Júpiter deixando a combustão, paralelamente à ocorrência da Lua Cheia. Os assuntos de Júpiter ficam mais evidentes, aliados ao posicionamento de Mercúrio que também estará em Peixes (desde o dia 10). Nossa fé é restaurada e é um momento oportuno para explorar a criatividade e investir em ideias, projetos que tem potencial para gerar um bem coletivo. Nossos pensamentos estarão voltados para questões de união, afetividade e prazer, e o clima geral do momento será de mais alegria e conexão com as nossas emoções e desejos. Será também quando Vênus começa a se distanciar de Marte, depois de meses sendo atrapalhada por ele. Será um ciclo de potencial resolução de conflitos, restabelecimento de uniões e expansão de assuntos referentes às mulheres, sexualidade e prazer, especialmente com a entrada de Vênus em Peixes que ocorrerá na próxima lunação. 

Ao olhar para cima, não se espante se seus olhos se encherem de lágrimas e as nuvens se parecerem mais como espuma das ondas do mar. O céu estará fazendo seu papel de refletir o mistério da vida, e dessa vez o espelho é de água, esse elemento que evidencia como é um milagre estarmos aqui, depois de tudo que já vivenciamos nos últimos tempos. 


 _ 

© Texto de Verônica Becker. Verônica é atriz, astróloga tradicional e empreendedora. Ouviu o chamado das artes dramáticas e oraculares ainda criança. Respondeu-o com a promessa de manter essas paixões sempre vivas no seu coração e no mundo.

Gostou? Deixe seu comentário

Não aceitamos discurso de ódio. Todos os comentários serão moderados antes de serem publicados.

primeiro toy? vem comigo