Pular para o conteúdo

Carrinho

Seu carrinho está vazio :(

Artigo: Guia de sobrevivência do verão: infecções e o que + pode rolar

Guia de sobrevivência do verão: infecções e o que + pode rolar

Guia de sobrevivência do verão: infecções e o que + pode rolar

Xô candidíase e infecção urinária: um guia para a saúde da vulva 

O verão já tá aí e pra passar por ele sem problemas, só mesmo um bom guia de sobrevivência, principalmente quando se trata da saúde da sua vulva. Se você não sabe, a candidíase e a infecção urinária têm maior chance de acontecer agora, quando as temperaturas estão mais altas. Então, vem com a gente entender o porquê e, principalmente, como batalhar contra estas ameaças ao seu bem estar. 

Por que o verão afeta a saúde da nossa ppk?

O calor é gostoso pra muitas coisas. Para aquele banho de mar ou cachoeira, pegar um sol, sair com amigues pro barzinho… Mas é também pelas altas temperaturas que algumas infecções podem atacar.  

Além disso, o suor e até mesmo a roupa molhada que usamos depois de uma piscina ou da praia são os vilões do nosso verão. A umidade e as temperaturas altas criam o ambiente perfeito para que fungos e bactérias se proliferem.

Fora que época de férias e carnaval, acabamos colocando nosso corpo para jogo nos mais diversos ambientes. Banheiros públicos e químicos, água de mar, cadeira de bar, casa do contatinho de verão… tudo isso acaba nos expondo aos males dos novos ambientes.

5 dicas de Como evitar candidíase (no verão)

A candidíase é provocada pela proliferação do fungo candida albicans. Ele está presente na nossa ppk naturalmente. Só que com o calor e umidade do verão, é possível que o candida albicans comece a se multiplicar além da conta. Com isso, sintomas como coceira intensa e corrimento (branco, espesso e sem cheiro) acontecem. Esse tipo de situação pode ocorrer repetidamente, a famosa candidíase de repetição, mesmo que se tome todas as precauções, dicas e medicamentos. O ideal é fazer um acompanhamento médico para tratar a situação.

Candidíase é um saco e um dos grandes problemas íntimos do verão. Então, como a gente evita todos esses sintomas chatos. 

1. Cuidado com o biquíni molhado

A primeira dica de sobrevivência é não ficar com roupa molhada no corpo, principalmente roupa íntima e mais principalmente ainda biquíni.  A umidade ajuda na proliferação da candida.

Além disso, os biquínis geralmente são feitos com tecido sintético que aumenta o calor e não deixam a pele respirar.  Então, se for em piscina ou no mar, leve roupa seca para se trocar o mais rápido possível. Não fique o dia inteiro com o biquíni molhado e ao se trocar dê preferência para shorts e saias, coisas que deixem a ppk respirar.

2. Uma atenção a hidratação e alimentação

Uma cervejinha aqui, um churrasquinho e um docinho ali e lá se foram os bons hábitos alimentares. No verão e nas férias isso é muito comum, mas a gente não pode descuidar. 

Primeiro porque o consumo acima do normal de açúcar e doce pode levar ao aumento do fungo que causa a candidíase. Segundo porque as barreiras de proteção do corpo vêm de dentro. Então, bora colocar em prática a meta dos 2 litros de água por dia?

3. O tecido das roupas importa sim

Quanto mais livre e fresca a região íntima estiver, melhor. Para isso, a gente precisa cuidar para não apertar e abafar demais com tecidos inadequados. 

Lycra, poliéster e outros tecidos sintéticos é melhor evitar ou usar o mínimo possível no verão. As roupas íntimas precisam ser de algodão ou com revestidas em algodão. Prefira roupas que permitam a transpiração livre.

4. Você toma vários banhos? Cuidado com o sabonete

Num calor de 30° é impossível não tomar dois ou mais banhos no dia. Com isso, a gente acaba se lavando mais do que deveria e eliminando barreiras importantes que protegem nossa ppk. Para que isso não aconteça, evite lavar a vulva com sabonete. Além disso, na hora do banho, se for usar, prefira sempre sabonetes com ph neutro, adequados para pele sensível.

5. Suor também é um problema

O calor e as roupas fazem a gente suar e suor também é umidade. Por isso, depois da academia ou de andar muito tempo, se as roupas íntimas estiverem suadas o ideal é logo se trocar.

Pode ir pra praia com candidíase?

Água de mar e areia não passam candidíase para ninguém. Porém, o suor, calor e roupas molhadas não ajudam muito a melhorar a coceira e o corrimento. Além disso, se você estiver em um tratamento tópico, pode achar desconfortável praticar certas atividades. Por isso, o ideal é que a candidíase passe para depois ir tomar aquele banho de mar.

Agora 5 dicas de Como evitar infecção urinária (no verão)

E não é só com a candidíase que precisamos tomar cuidado. A infecção urinária também pode atacar no verão. É nessa época que as bactérias se proliferam com maior facilidade nos ambientes. Além disso, as altas temperaturas fazem nosso corpo suar mais e, por consequência, se desidratar com mais frequência.

 Anota as dicas para sobreviver sem infecções no verão.

1. Itens de sobrevivência do banheiro químico/público

Quem nunca foi em um barzinho ou no bloquinho de carnaval e fez o famoso malabarismo para fazer xixi? 

Bem, primeiro que esse malabarismo de se agachar, colocar as pernas bem longe do vaso sanitário, segurar nas paredes etc. etc. pode atrapalhar e até mesmo provocar a infecção urinária. Quando a gente fica nessas posições malucas pra não encostar no vaso sanitário, nossa bexiga pode não esvaziar completamente e você pode até mesmo se machucar nessas situações. 

Então, o mais prático é contar com itens de sobrevivência do banheiro químico/público. 

Tenha na bolsa sempre: 

  • Papel higiênico extra, lenço umedecido ou lenços de papel;
  • Álcool em gel ou antisséptico em uma garrafinha pequena;
  • Um condutor urinário descartável ou lavável;

Os condutores urinários são, de fato, uma mão na roda. Simples de serem utilizados, eles não te deixam encostar no vaso e você não precisa fazer malabarismos. 

2. Limpar sempre da frente pra trás

Outra dica importante (que muita gente ainda não sabe) é que depois de urinar, você deve sempre se limpar de frente para trás, nunca o contrário. Caso haja bactérias localizadas no ânus ou mesmo na parte externa da uretra, as chances são menores de que ela entre no canal urinário. 

3. Lavar as mãos ANTES e depois do banheiro

Essa é uma dica de sobrevivência bastante importante. 

Algumas infecções (não só urinárias, mas também intestinais) acontecem pela falta de higiene adequada das mãos ANTES e depois de ir ao banheiro. Isso mesmo, antes de fazer xixi é preciso lavar as mãos. Afinal, vamos encostar nas nossas partes íntimas para nos limparmos e uma bactéria potente pode ir de um lugar a outro com facilidade. 

E quando falamos em lavar as mãos, não é só passar uma água. É esfregar entre os dedos, na parte de cima, de baixo e nas unhas.

4. Beber MUITA água

Não tem como evitar. O melhor jeito de evitar infecções é se hidratando e limpando as vias urinárias. Quanto mais xixi, menos chance de uma bactéria permanecer no trato urinário. Então, partiu fazer o desafio dos 2 litros de água por dia. E é água mesmo, viu? Nada de suco, refri ou bebida alcoólica. 

5. Não fique segurando xixi

Se você quer fazer xixi, procure ir ao banheiro o mais rápido possível. Nada de ficar segurando. Quando retemos a urina, impedimos as bactérias que estão no trato urinário de serem liberadas. 

Pode ir pra praia com infecção urinária?

Novamente, não há problema em aproveitar a praia, o mar e as férias com infecção urinária. Mas não se esqueça dos remédios para tratar a infecção e, principalmente, das recomendações médicas sobre álcool, hidratação e hábitos de higiene.

Finalizando… infecções precisam sempre de tratamento médico

A gente precisa deixar bem claro que esse guia serve para evitar infecções e candidíase. Se você já tem uma infecção em andamento e principalmente se tem casos de repetição (como candidíase de repetição), a consulta com um médico é imprescindível. O tratamento precisa ser realizado com medicação prescrita e antibióticos.

Então, se apareceu aquele corrimento estranho e uma coceira chata, não espere para procurar um médico.

Deixar comentário

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.