Pular para o conteúdo

Carrinho

Seu carrinho está vazio :(

Artigo: Assexualidade: o que é ser assexual?

Assexualidade: o que é ser assexual?

Assexualidade: o que é ser assexual?

O que é significa ser assexual na atualidade?

O que Tim Gunn, Caitlyn Jenner e Bob Esponja têm em comum? Essa pode parecer uma charada tosca, ou uma pergunta sem lógica nem interesse algum, mas essa introdução vem pra olharmos para um fato muito importante para a representatividade atual: a Assexualidade.

"É quem não quer fazer sexo?" Não necessariamente!

De acordo com a Asexual Visibility and Education Network, a assexualidade é uma orientação sexual definida como "alguém que não sente atração sexual ou um desejo intrínseco de ter relações sexuais". Essas pessoas podem ter relacionamentos, e sentir paixão e amor, mas simplesmente não sentem uma grande necessidade (ou qualquer necessidade) de sexo. 

O que pra muitas pessoas é uma decisão - a de transar ou não - para as pessoas assexuais, faz parte da natureza de quem são: "Ao contrário do celibato, que é uma escolha de abstenção da atividade sexual, a assexualidade é uma parte intrínseca de quem somos, tal como as outras orientações sexuais. As pessoas assexuais têm as mesmas necessidades emocionais que toda a gente, e são igualmente capazes de estabelecer relações íntimas." coloca a AVEN

Em uma pesquisa realizada pelo Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex), da Universidade de São Paulo (USP), chegou-se ao dado que 7,7% das mulheres e 2,5% dos homens não sentem necessidade de manter relações sexuais, o que totaliza 10.5 milhões de brasileiros. O estudo foi feito em 2008, e desde então este é o dado mais atualizado que temos.

Não to afim de transar, será que eu sou assexual?

Não é um simples período sem desejo por sexo que define se você é assexual ou não. Mas caso você tenha dúvidas sobre a sua orientação sexual, seria interessante se fazer alguns questionamentos:

1- Você tem desejo de tomar iniciativa para o sexo? 

Pode ser que você tenha feito sexo mais porque pensou que deveria fazer, do que por gostar realmente. Caso você nunca tenha tomado iniciativa para o ato, vale pensar se sexo te interessa ou se você tem feito por demanda externa, mas sem real desejo.

2- Você se sente atraído por outras pessoas, sejam do sexo oposto ou do mesmo sexo?

Às vezes há atração sexual, só não pelo gênero que você pensava…

3- Você sente que tem algum problema consigo por não sentir atração por pessoas à sua volta?

Muitas vezes nos culpabilizamos por algo que pra nós é simplesmente o nosso natural. Além de vivermos em uma sociedade heteronormativa, vale lembrar que ela é também sexonormativa, impondo as vezes desejos que não são nossos. Aqui vale lembrar que a ausência de atração sexual não é classificada como doença desde 2013 pelo DSM, publicação que cataloga os distúrbios mentais; ou seja, não há nenhuma patologia nisso.

4- Você acredita que pode se conectar romanticamente com outra pessoa sem necessidade de sentir atração sexual?

Se a possibilidade de uma relação romântica sem sexo é algo que trás alivio, por que não se permitir viver o que para você seria o natural? 

Algumas das diferentes formas de viver a assexualidade:

Não, não existe só um jeito de viver a assexualidade! Segue abaixo lista dos espectros mais recorrentes:  

Assexual Estrito: Pessoa que não sente atração sexual em nenhum momento/circunstância por nenhum gênero.

Demissexual: Sim, a demissexualidade está dentro do ”guarda-chuva" da assexualidade! Definem-se demissexuais as pessoas que não sentem atração sexual, sem um vínculo emocional/afetivo com outra pessoa. Aqui é preciso antes que haja amiração e proximidade, para que depois, o tesão surja

Grayssexual (ou "área cinzenta"): Pessoa que sente atração sexual raramente, apenas em circunstâncias específicas (independente de vínculo emocional). Também pode ser chamada de "assexualidade não estrita"

Arromântico (Arromantic): Alguém que não experimenta atração romântica. Isso significa que eles podem não sentir desejo de se envolver em relacionamentos românticos, ou podem ter uma experiência limitada de atração romântica. Ou seja, alguém pode ser assexual romântico ou arromântico.

Já viu um baralho por aí?

No contexto do baralho, "ACE" normalmente se refere a uma carta específica, o Ás (Ace em inglês), mas a comunidade assexual se apropriou do símbolo, que passou, nesse contexto, a representar o coletivo.

O perfil do instagram Assexualidade Brasil (@assexualidade.brasil) coloca:

"O Ás do baralho de cartas se tornou um símbolo por causa de um trocadilho com a palavra em inglês. Ás significa Ace, que também é a forma abreviada de chamar um assexual. Agora qualquer carta com o Ás pode ser usada como referência para a assexualidade e algumas pessoas da comunidade usam os quatro naipes representando quatro faixas do espectro. (...)

Ás de copas: Os assexuais que sentem atração romântica.

Ás de espada: Os assexuais que não sentem atração romântica.

Ás de ouro: Demissexuais e Grayssexuais. 

Ás de paus: Aqueles que ainda não tem certeza (também usada para grayssexuais)."

E a masturbação? Pode?

Como todo o artigo tenta colocar: não é sobre o que pode ou não, é sobre o que cada um se sente bem ou não vivendo e sendo.

Há assexuais que vão praticar a masturbação por prazer físico e sexual, e outros que não sentem desejo nem necessidade do ato. Isso vai variar de pessoa para pessoa.

Acho que sou assexual, e agora?

Se encontrar dentro de uma orientação sexual que você não esperava pode trazer alívio mas também receios. A dica para você que está se identificando com a asseuxalidade é: calma, estudo e diálogo.

Você pode se informar mais sobre pelos portais: 

  • The Asexual Visibility and Education Network (AVEN): Portal online muito respeitado que fornece informações abrangentes sobre assexualidade. Você pode visitar o site deles em AVEN.
  • Planned Parenthood: Organização de planejamento familiar Planned Parenthood que frequentemente aborda questões relacionadas à sexualidade e identidade de gênero. Eles têm informações úteis sobre assexualidade em seu site, Planned Parenthood.
  • American Psychological Association (APA): A APA é uma fonte confiável de informações sobre psicologia e saúde mental. Eles podem ter recursos sobre assexualidade em sua seção de saúde sexual. Você pode verificar o site deles em APA.
  • GLAAD: A GLAAD é uma organização de mídia e defesa que se concentra na representação justa e precisa de pessoas LGBTQ+ na mídia. Eles podem ter recursos sobre assexualidade em seu site GLAAD
  • Sexual Health Education and Advocacy Throughout (SHEAT): Essa organização sem fins lucrativos se dedica à educação sobre saúde sexual e pode oferecer recursos sobre assexualidade. Visite o site deles em SHEAT.

Caso restem angústias, o acompanhamento com psicólogo, psicanalista ou terapeuta sexual pode vir a ajudar a compreender melhor seus desejos e viver de maneira mais leve.

No feed da comunidade Assexualidade Brasil, sobre a pergunta "O que te deixa mais orgulhosa em ser assexual?", um perfil comenta:

"Acho que poder me reinventar quando estou conhecendo alguém. No chamego, no contato, nas conversas, nos rolês. Por sempre querer manter a pessoa por perto mesmo que não vá de fato haver sexo, sinto uma valorização muito grande nesse momento e também gosto muito de não me sentir mal por não querer necessariamente sexo e conseguir levar a vida com isso. Assexualidade cinzenta tem seus desafios, mas eu tenho aprendido muito sobre os meus sentimentos nos últimos meses e estou me dando muito bem comigo mesme."

E fica o conselho e a inspiração para que possamos sempre viver com verdade e liberdade dentro da nossa orientação sexual.

Escrito por Mari Williams

Foto: Marya Lysenko

Deixar comentário

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.